quarta-feira, 9 de março de 2011

Falta orientação profissional para os jovens do semi-árido – José Avelange

Em geral, os concluintes do ensino médio deixam a escola sem nenhuma orientação para enfrentar os desafios típicos do mundo do trabalho


Os gestores públicos municipais, secretários da educação ou da assistência social, têm agora a possibilidade de implementar uma política pública inovadora, que é a oferta de orientação vocacional escolar ou orientação profissional aos jovens de seus municípios.
Em geral, os concluintes do ensino médio deixam a escola sem nenhuma orientação para enfrentar os desafios típicos do mundo do trabalho, onde a competitividade e a seletividade de mão-de-obra costumam ser desanimadoras, principalmente se o jovem não conhece suas aptidões nem a realidade sócio-econômica que o cerca.
Ao implantar o serviço gratuito de orientação profissional, com a participação de profissionais da educação e da psicologia, os municípios estarão oferecendo uma ferramenta ímpar para suas novas gerações e, conseqüentemente, para o desenvolvimento do próprio município, que se faz com gente, conhecimento e trabalho.
Os interessados em conhecer melhor a idéia, podem obter maiores informações pelo telefone (75) 8200-7342.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita.
Sua participação é importante para nós.
Volte sempre.